Meus trabalhos, textos legais e dicas culturais.

Não categorizado

Não estou!

Não estou!

Estou ausente para essa gente descrente

Ausente para todos de todos

Que estão e não estão

Falam e não falam

Que desperdiçam o tempo que não temos

(Não sabemos o dia de amanhã)

Que dão de graça ao medo sua felicidade

Tem é que ter cuidado

Tem que ter objetivo, tem que ter vontade…

Cuidado com a gente e com o próximo

(Não temos obrigação de agradar ninguém, mas ser educados)

Cuidado pra distinguir o certo do errado

(As vezes é preciso errar pra aprender)

O bom do mau

O querer e o precisar

(Nem sempre o que queremos é o que precisamos)

Precisamos é de respeito!

Alex Felippe, 06/07/2012 às 03h30.


Novidades!

Agora o blog possui uma agenda onde vocês podem ficar por dentro de toda a programação, não deixem de conferir!


E agora, o que vou fazer?

Não sou bom com palavras, muito menos perto de você

Então tento organiza-las aqui

Para tentar me achar e fazer você entender

Que amar não é ter controle da situação

Nem buscar a perfeição de alguém, ninguém é perfeito

O que torna perfeito é a junção dos seres

É encontrar no outro o que falta em você

É não ter a obrigação de fazer algo pra agradar

E sim ser você e agradar

Fazer do “algo para agradar” um plus

É ao se magoar tentar fugir e não conseguir

É querer esquecer e ao olhar para outra pessoa ver seu rosto

Saber que é sua imperfeição que vai completar o outro e vice-versa

A simpatia ao extremo com o egoísmo consentido

O amor exagerado com a frieza desnecessária

A agitação de todos os dias com a preguiça do dia inteiro

Pensamentos demasiados com as atitudes marcantes

E ao perceber que os objetivos são os mesmos

Encontrar o equilíbrio

É ter a necessidade de contar as coisas mais bobas e também as sérias

Se sentir uma criança e brincar

Ter os sonhos mais loucos

Querer beijar-te e tirar sua roupa

Fazer as coisas mais sérias e as mais divertidas

Perder o controle sem medo de errar

E agora, o que vou fazer? O que adianta o mundo se eu quero você?

Será que amar é realmente o mais importante? Será que isso é amor?

Não sei o que mais pode ser

Estou aprendendo

E o que eu já fiz não é nem metade do que eu quero e posso fazer por você.

Alex Felippe, 22/03/2012 às 02h58.


“Oração”

Acabou o ensaio, procura um lugar isolado e tranquilo, espera todos irem embora, pois não está bem e precisa de um tempo sozinho para pensar.

Todos se foram, você está no mesmo lugar, sozinho, triste, pensando…

Escuta um barulho, percebe que é alguém cantando, mas ainda não consegue distinguir qual música. É um amigo, ele também acha que está sozinho, começa a cantar cada vez mais alto e a chorar também, a letra é linda e ele canta muito bem. Vai até ele, que se surpreende com a sua presença, da um abraço, ficam assim por um tempo, ele cantando e os dois chorando.

O que ambos precisavam era de um abraço sincero de amigo e nenhuma palavra.Estavam no lugar certo, no momento certo e na hora certa.

Alex Felippe, 13/02/2012 às 4h42

(Inspirado em um relato real de um amigo)


Divulgação “O Rei Leão”


Porta Sentimentos

Porta Sentimentos

Gostar, estar apaixonado e reviver um amor…

Não necessariamente juntos e nessa ordem;

Isso é possível?

Claro que sim!

Podemos controlar nossas atitudes e palavras, mas não os sentimentos;

Pessoas nos cativam de formas diferentes…

Gosto de quem não sabe o que quer…

Me apaixonei por quem eu não sei o que quer…

Revivendo um amor que não quer ser entendido…

Quando o sentimento é verdadeiro ele fica guardado, por sermos obrigados ou quando achamos que é melhor assim.

Muitas pessoas não percebem isso e acham que simplesmente passou, estão enganados…

Então não brinque com os sentimentos de alguém, vai que ele está guardado e você o faz voltar novamente.

 Alex Felippe,  06/02/2012  às 04h51


Texto de uma amiga.

Esses dias pensei em nós dois.
Sabe que fazia tempo que eu não pensava nisso?

Os meses passaram tão rápido que eu confesso que me senti um macho
típico da sociedade na qual vivemos. Entreguei-me a boemia e me vesti
de amores adultérios, sem critério fui aonde pude. Explorei estradas,
sonhos alheios, mexi com sentimento de metade dos canalhas que já me
fizeram sofrer. É… não foram poucos. Nem os homens (muito menos os
canalhas) nem as mulheres, nem as bebidas, os cigarros, e tudo mais…
vício era o meu nome. E dor a minha imagem. E quem disse que eu me
importava? O importante, meu bem, era continuar em pé na estrada.

Se você soubesse tudo que fiz… Será que ainda me olharia com aqueles
olhos de nada? De quem diz que ama, mas não demonstra? Será que me
amaria de verdade? É que lembrei de nós dois, sabe? Depois de tanto
correr pelos mundos alheios, resolvi andar pelo meu e descobri que não
resta mais nada em mim: nem poesia, nem sonhos, nem esperança, só
vícios, essa tosse que não para, essa pele desidratada e o amor que te
tenho [que talvez seja o maior de todos].

Aonde você anda, amor? Sei que demorei pra te procurar, mas eu resolvi
vir aqui: percorri todo o caminho que distanciava sua realidade da
minha, te procurei por aqueles bares que freqüentávamos para
reclamarmos da vida, andei pelas ruas que, em cada ponto, abrigam ou
uma grande discussão ou um momento nosso de paixão exacerbada, quase
criminosa. Cheguei ao limite: subi as escadas que já ouviram tanto,
mas tanto o meu gozo ligeiro, o combinar do cheiro do amor do nosso
corpo. E agora aqui na sua porta e nada de você abrir. Antes eu
chegava ao elevador e você já sabia que eu estava aqui. Não havia
campainhas, nem ouvidos desacostumados com os meus passos, muito menos
olfato que sentisse outro cheiro, senão o meu.

A campainha… toco?

Alguém abre a porta.

Pelo menos não é uma mulher!

O ar que vem da tua casa não parece mais ter teu cheiro. Confesso que
o nó na garganta me impede de dizer qualquer coisa. Olho pro senhor
que abre a porta e que tenho recordação pequena da sua imagem. A
lágrima que cai no meu rosto parece espelhada também na dele. Por que?

Medo. É o que eu sinto e que eu não sentia desde o primeiro dia que me
vi longe de você. E desespero também. Continuo sem falar nada, o
senhor abre espaço para eu entrar. No segundo passo, grito: João, teu
nome. Era só o corpo dentro do caixão e os sonhos que construí
contigo. Suicídio.


Carol Barbosa



	

Estranho Jeito de Amar

Não importa se foi destino ou coincidência, estou sofrendo as consequências

Fugi tanto, sem nem saber do quê

Mas tinha que acontecer, depois de anos, um reencontro

E o motivo de querer me proteger

Minutos para o escudo se quebrar

Segundos para me apaixonar

Queria o todo, mas uma parte já me basta

Já não me importa com quem ficas, beijas ou vai se deitar

Muito menos por quem vai se apaixonar

Estou feliz, se feliz você estiver

Sou o amigo mais fiel, sem você notar

Só quero que respeite meu estranho jeito de amar.

Alex Felippe, 12/01/12 às 04h26


Aprovado seguro-desemprego para artistas, músicos e técnicos em espetáculo!

Aprovado seguro-desemprego para artistas, músicos e técnicos em espetáculo.


Feliz 2012!

REVEILLON, pensamos em todos os detalhes, o que vamos usar, simpatias, os desejos para o próximo ano, objetivos,… O novo ano chega e passa tão rápido que, no decorrer, esquecemo-nos da maioria dos objetivos, até que chega o novo REVEILLON…

O que eu quero para o próximo ano? As simpatias funcionaram para esse?

Já comecei o ano conhecendo pessoas novas, e que hoje são grandes amigos, viajando, me divertindo, rindo, reencontrando algumas pessoas e me apaixonando.

Profissionalmente foi cada vez melhor, peças em cartaz e outra em produção, TV, estágios…

Família indo bem, todos felizes.

Amigos, posso dizer que essa foi uma das grandes coisas de 2011, principalmente por causa dos reencontros.

Amor, ah o amor… O grande desejo do REVEILLON… Segui a dica e usei uma cueca vermelha, mas eu não só me apaixonei, tive uns rolos loucos, como amei, e estou amando, alguém que conheci em 2003, mas só fui ter contato mesmo em 2011.

Se é correspondido? Ah isso já é outra história, mas me disseram que vermelho não é amor, é paixão, por isso toda essa enrolação. Será?

Acho melhor mudar a cor da cueca! (risos)

Quero agradecer alguns amigos que conheci e outros que eu já conhecia, mas que foram de grande importância em 2011…

Charles Emmanuel, Caio Johann Scheleger, Carlos Perim, João De Moraes, Felippe Bondarovsky, Patrick Braun, Fernanda Quental Peres, Carolina Jacques, Franco Trotta, Alessandra Vetter F. LeiteFellipe Fontanezzi… Obrigado também ao grupo Paranoid Android, a Martins Franco Produções e a Castelo Medieval Produções Artísticas.

…De alguma forma vocês foram ou ainda são de grande importância pra mim, obrigado por esse ano incrível e desejo um 2012 de muita paz, amor, felicidade… Tudo de melhor que vocês podem imaginar. Que seus desejos se realizem, mas saibam que não adianta só desejar, temos que acreditar e fazer acontecer.

Vamos nos preocupar com o que realmente importa, dar valor a quem nos quer bem, ajudar a todos, confiar em poucos e não fazer mal a ninguém.

Beijos e LUZ!

Alex Felippe, 31/12/2011 às 05:08